Qual o Tempo Ideal entre um Filho e Outro?

Aprenda a analisar melhor o tempo entre uma gravidez e outra.

Artigo publicado por Juliane Freitas nas categorias: Dúvidas

O Milagre da Gravidez

Ter mais um integrante na família pode não ser uma decisão simples, sob diversos aspectos a ideia de se ter mais um filho levanta debates. Apesar de tantos pontos, a discussão gira em torno de dois temas principais: a relação entre um novo filho e o(s) filho(s) que já nasceram e a saúde da mulher e do bebê.

A comunidade médica, em geral, não estabelece uma distância entre filhos fixa como o melhor momento para se ter uma nova criança, no entanto, com base em diversos estudos realizados, especialistas apontam que entre 18 meses e 5 anos é um período para a mãe tomar a decisão de ter um novo filho.

Relação entre Filhos e Pais

Relação entre Pais e Filhos

Uma das preocupações dos pais que começam a pensar em um novo filho é o ciúme do(s) primeiro(s) em relação ao último, essa preocupação pode ser justificada facilmente quando há apenas uma criança na casa, pois a sensação de irá perder o “trono” é normal. Dentro dessa tendência a pensar que irá perder atenção a criança pode apresentar comportamentos regressivos, como voltar a fazer xixi na cama, uma reação a querer ter atenção.

Os pais precisam mostrar ao filho que ele tem seu lugar garantido, deixa-lo seguro para receber um irmãozinho. Semear a ideia de companheirismo entre irmãos também ajuda a conseguir bons resultados.A necessidade de atenção que uma criança exige nos faz voltar a ideia da distância entre filhos, é preciso lembrar que durante seu primeiro ano uma criança exige muita atenção, por isso, ter outro filho durante esse processo pode ser complicado. Mas, isso varia entre crianças, muitas exigem maiores acompanhamentos até certa idade, outras logo se tornam independentes.

Socialmente se estimula que casais tenham filhos em idades próximas, esse fato não é apenas uma teoria de “família feliz”, pois, realmente, ter filhos em idades próximos facilita a vida social da família, a interação entre os filhos e a resolução de problemas.

Saúde Materna e do Bebê

Segundo o Journal of the American Medical Association, intervalos menores que 18 meses entre concepções aumentam as chances de parto prematuro, nascimento de bebês de baixo peso, com paralisia cerebral ou pequenos demais para sua idade – numa gravidez com apenas 6 meses de intervalo da último o risco de prematuridade é de 60%.

A razão para isso é simples, pois a gravidez e o pós-parto exigem muito do corpo feminino, que se torna debilitado em nutrientes para atender as necessidades do bebê, uma nova gravidez não dá ao corpo o tempo necessário para se recuperar e prejudicar o desenvolvimento do próximo filho. No entanto, tal risco não acontece apenas em gestações com pequenos intervalos, o intervalo maior que cinco anos entre filhos também oferece os mesmos riscos.

Quando ter o Segundo Filho

Para a mãe o principal é aguardar um certo período para que o útero se recupere das lesões do parto e da gestação, afinal, ele teve o seu tamanho aumentado muitas vezes. É interessante notar que o próprio organismo exerce sua forma de controle, pois a mulher não ovula enquanto o seu bebê é alimentado apenas com leite materno, o organismo é capaz de perceber a dependência nutricional entre eles e a prolactina, hormônio do leite, inibe a ovulação.

Avalie sua Vida Pessoal

Apesar de tentarmos, nesse artigo, expor ideias que oriente a leitora sobre o melhor momento para ter mais um filho, a decisão oficial cabe ao casal e, sobretudo, àquela que será mãe mais uma vez. Um casal irá considerar o espaço físico, a situação financeira e os próximos planos da família, mas não deve-se pesar demais essa decisão sobre essas medidas, assim como pode não ser bom para a família se basear apenas na necessidade de dar ao outro filho uma companhia, o ainda melhorar o casamento. Um filho é uma relação para toda a vida.

Comente!




*Campos obrigatórios

Os artigos desse site contém informações baseadas em pesquisas, estudos, consultas, experiências pessoais e livros. Deve-se sempre consultar um médico antes de tomar qualquer medida.