Posso Congelar Óvulos para Usá-los Após um Tratamento de Câncer?

Sim, é possível congelar os óvulos para depois de um tratamento de câncer, conheça melhor o procedimento.

Artigo publicado por Juliane Freitas nas categorias: Dicas

O Milagre da Gravidez

Um câncer atinge o paciente emocionalmente e fisicamente, é um quadro de saúde complicado e que exige muitos cuidados e atenção para que, com sorte e com uma boa equipe médica, o paciente consiga se recuperar e até mesmo reverter a situação. No entanto, os tratamentos, além de expansivos, trazem consigo diversos efeitos colaterais, alguns deles podem até mesmo interferir na fertilidade do paciente.

Se o paciente de câncer tem a intenção de ter filhos, logo nas primeiras consultas já deve alertar para esse detalhe ao seu médico, para ser orientado caso tenha alguma possibilidade do tratamento afetar suas fertilidade, e se houver, conseguir orientação também sobre o que fazer para preserva-la.

câncer

Como o Câncer Pode Interferir na Fertilidade?

O câncer, quando não é localizado na região dos órgãos reprodutores ou relacionado com alguma glândula produtora de hormônios, não interfere diretamente na fertilidade. O que causa as alterações, na maioria dos casos, são os tratamentos. Por exemplo, a quimioterapia é um tratamento distribuído pela corrente sanguínea, além de atingir os tumores, a medicação também pode chegar aos ovários e testículos, limitando ou eliminando a produção de espermatozoides e óvulos.

A radioterapia, por sua vez, tem risco de infertilidade quando é feita numa região próxima aos órgãos reprodutores. Contudo, ambos os procedimentos podem afetar a produção hormonal, portanto mesmo uma radioterapia desvinculada da região de órgãos reprodutores primários pode causar infertilidade através da influência na produção hormonal.

A criopreservação é o principal método para lidar com os problemas que surgem dos tratamentos de câncer, tanto para homens quanto para mulheres. Os primeiros podem optar pelo congelamento do tecido testicular se ainda não tiverem atingido a maturidade sexual, se já estiver em fase adulta, aconselhasse a preservação do próprio esperma. As mulheres pode optar pela criopreservação dos óvulos, do tecido ovariano – onde se localizam os folículos que darão origem aos óvulos ou fazer uma transposição dos ovários para uma região que não irá ser tratada, em caso de radioterapia.

gravidez pós câncer

Como Meus Óvulos Serão Úteis Após o Tratamento?

Se optar pelo congelamento dos óvulos, é possível utilizá-los posteriormente com a técnica de fertilização in-vitro, transferindo os embriões já fecundados para o útero.

Quando o caso é mais grave e é necessário retirar o útero, os médicos podem indicar a gravidez por substituição. Com a fertilização in-vitro fertiliza-se um óvulo da paciente com o gameta do seu parceiro, mas o desenvolvimento é feito no útero de outra mulher. Essa técnica exige resistência psicológica por parte da paciente, pois nem sempre é fácil lidar com a ideia de ter o filho “gerado” em outro útero. Além do peso emocional, também não há uma legislação clara sobre o procedimento no Brasil, apesar do Conselho Federal de Medicina apoiar a escolha, a complicação pode ocorrer para registrar a criança em seu nome, assunto que poderá demandar um advogado.

A criopreservação é um método eficiente de manter os óvulos, mas não há garantia de que todos os pacientes se beneficiem com essa escolha. O primeiro passo é assim que souber da necessidade de realizar um tratamento entrar em contato com um especialista em reprodução, para orienta-la sobre o melhor a fazer.

Comente!




*Campos obrigatórios

Os artigos desse site contém informações baseadas em pesquisas, estudos, consultas, experiências pessoais e livros. Deve-se sempre consultar um médico antes de tomar qualquer medida.