Inseminação e Fertilização In Vitro

Entenda a diferença entre inseminação e fertilização e descubra qual é o melhor tratamento para você

Artigo publicado por Juliane Freitas nas categorias: Problemas

O Milagre da Gravidez

Ao optar por um método não natural de concepção muitas mulheres se deparam com a dúvida entre a inseminação artificial e a fertilização In Vitro. Muitas, por outro lado, acreditam que as técnicas são iguais. É importante saber que quando fala-se em fertilização In Vitro e inseminação artificial, fala-se, sim, em duas técnicas diferentes quanto ao método e também quanto as possibilidades de sucesso e seu custo.

fiv

Quais as diferenças?

A inseminação artificial, ou intra-uterina, é um processo de estimulação da ovulação na mulher através de tratamento hormonal. O sêmen é transferido para a cavidade uterina no momento certo da ovulação e após já ter sido trabalhado em laboratório para aumentar as chances de concepção. Esse método permite que a fecundação ocorra naturalmente dentro do organismo feminino, por consequência de ter envolver menos desenvolvimento em laboratório, é uma técnica mais barata e o seu índice de acerto, com a fecundação natural, é de 15%.

A fertilização In Vitro, por sua vez, já começa com um tratamento hormonal diferente, pois nesse caso o objetivo é a indução da produção e liberação de múltiplos óvulos, as dosagens hormonais são altas. Os óvulos gerados serão colhidos antes da ovulação ocorrer, em uma clínica, pois eles serão fertilizados com espermatozoides selecionados em laboratório. Com o desenvolvimento dos embriões, então, o óvulo é implantado no útero. Nesse caso, apesar de mais caro, o tratamento chega a 40% de resultados positivos.

É notável que nenhuma das técnicas atinjam mais de 50% de chances de gravidez, no primeiro caso, o que ocorre é apenas uma ajuda para que os espermatozoides cheguem até o óvulo. No caso de fertilização, porém, quase todo o processo é realizado em laboratório, mas as chances do organismo feminino aceitar bem o óvulo e ter as condições para nutri-lo abaixam o resultado – a preocupação é maior no primeiro mês. Ainda assim, ambas as técnicas ajudam muitos a realizar o sonho de ter um filho.

Quando é apropriado?

A inseminação artificial é aconselhável quando o problema não está na possibilidade de manter um óvulo, mas sim em dificuldades que o organismo impõem para que a fecundação ocorra. Ou seja, podemos considerar, doenças que criam anticorpos contra os espermatozoides no cólon do útero, a ocorrência de baixa produção de espermatozoides por parte do homem, ou ainda de células mais lentas. Na inseminação o esperma é colocado em uma quantidade concentrada.

reprodução assistida

A fertilização In Vitro é colocada no interior do organismo, esse processo ajuda mulheres que fizeram, por exemplo, ligamento de trompas. Muitos acreditam que tal cirurgia elimina a capacidade do organismo de gerar óvulos, mas na verdade ela apenas impede que os mesmos atinjam o útero, pois se “fecha” o canal de passagem. Ela também pode ser usada por mulheres que decidem engravidar após a menopausa, utilizando doação de óvulo.

Homens que apresentam problemas de saúde no aparelho reprodutor, como algum câncer, e vai passar por algum tratamento pode optar, também por fazer o congelamento dos gametas, que também é uma opção para aqueles que decidem fazer uma vasectomia,  e quando eles forem utilizados no futuro, será utilizada a fertilização In Vitro – os espermatozoides podem ser congelados por até 3 anos.

Comente!




*Campos obrigatórios

Os artigos desse site contém informações baseadas em pesquisas, estudos, consultas, experiências pessoais e livros. Deve-se sempre consultar um médico antes de tomar qualquer medida.