Adoção de Embriões

Entenda esse tratamento pouco conhecido para quem deseja ter um filho.

Artigo publicado por Juliane Freitas nas categorias: Problemas

O Milagre da Gravidez

Diante dos problemas de fertilidade, os casais podem optar por muitas tecnologias para ter seu bebê. Quando o problema se relaciona com a fertilidade masculina ou com a possibilidade da mulher liberar o óvulo (por exemplo, quando há laqueadura), as opções são mais diversas e mais conhecidas, como a fertilização in vitro. Quando o problema está na capacidade de manter o óvulo, inicialmente, no útero, ou na capacidade de geração de óvulos, ou ainda, problemas de fertilidade que atingem as duas partes do casal, a adoção de embriões é um método eficaz, que ainda enfrenta muito preconceito e é pouco estudado pelos casais.

adoção de embriões

Para Quem é Recomendado?

Embora a solução de adotar um embrião seja boa para quem deseja ter filhos e encontra dificuldades, a solução somente é indicada para quem enfrenta graves problemas em relação a fertilidade. Embora se fale muito do assunto, problemas graves são raros, estima-se que a cada 200 homens um não consegue produzir espermatozoides. O tratamento também é indicado para casais em idade mais avançada, pois a adoção de um embrião evita problemas que podem ocorrer ainda na divisão celular, afetando o desenvolvimento do feto em ordens cromossômicas, principalmente.

Como Acontece a Adoção?

A adoção de embriões começa muito antes, no momento em que casais tentam realizar a fertilização in vitro. Para que um casal engravide, muitos embriões precisam ser produzidos para as tentativas, se faz o congelamento desses embriões para que sejam posteriormente utilizados. Quando há FIV do casal obtém sucesso logo nas primeiras tentativas, se eles decidirem que não irão mais querer filhos, podem assinar um termo que concede a clínica o direito de doar os embriões congelados. Mas para a doação ocorrer, faz-se também uma investigação genética sobre a família dos doadores, pois se houver risco de má formação ou doença congênita, o processo de doação deve ser interrompido.

Essa possibilidade, de doar para outros casais, é prevista e autorizada pelas Diretrizes Éticas e Morais do Conselho de Medicina, assim como a doação de embriões para pesquisas com célula tronco, após 3 anos sem receber contato para adoção, tais atitudes vão contra o debate moral sobre o congelamento de embriões, visto que podem ser muito úteis a sociedade. O casal não recebe nenhuma compensação por sua doação.

O casal que deseja adotar um embrião pode fazê-lo por cerca de 5 mil reais, em média, e se preparar emocionalmente, pois o processo traz bastante desgaste psicológico, sobretudo para a mulher, pois a aceitação de ter um filho que não se parecerá com você pode ser demorada. Também devem se preparar para julgamentos, pois a prática, embora venha se fortalecendo, não é bem vista por quem defende adoções de crianças, visto que o Brasil é um país com muitas crianças abandonadas, tampouco é uma prática aceita abertamente pelos membros da Igreja, que em geral se posicionam que o nascimento deve ser um dom divino.

Como é Feito o Tratamento?

A mulher deve receber tratamento hormonal, para a realização da implantação do embrião no útero adequadamente, evitando que ocorra um aborto, o embrião é implantado diretamente no útero. O casal que realiza a adoção deve pagar pelas despesas médicas, pela criopreservação do embrião e pelo descongelamento. O tratamento, como já dito, custa em torno de 5 mil, mas pode chegar a 8 mil.

Comente!




*Campos obrigatórios

Os artigos desse site contém informações baseadas em pesquisas, estudos, consultas, experiências pessoais e livros. Deve-se sempre consultar um médico antes de tomar qualquer medida.